segunda-feira, maio 31, 2010

Unfriending, nova moda... ou não


As redes sociais são causadoras de montes de fenómenos sociais, aproximam as pessoas e até criam novas palavras.
Em 2009 uma palavra entrou para o dicionário de Oxford:
  • Unfriend (ou traduzindo basicamente para português, algo como "desamigar" )
acto de remover uma pessoa da rede de contactos de uma qualquer rede social (passando plos hi5's facebooks myspace e o por aí em diante)
Quando li sobre essa palavra fiquei um bocado perplexo, porque bem... embora nunca tivesse lido a palavra em sitio nenhum, conhecia o conceito falado há carradas de tempo.

Ora por exemplo, eu nunca acreditei naquela treta de BFF.
Não consigo por mais que tente e ainda não apareceu quem me convencesse que isso existe.
Acredito que hajam amigos para a vida (e eu tenho a sorte de ter uns quantos, poucos mas bons) e que hajam verdadeiros melhores amigos e tal...
E o que é que isto tem a ver com o resto da conversa?
bem é que eu não engulo a historia de BFF's porque as pessoas têm a tendência de se afastar assim, naturalmente.
O que dificulta um bocadinho aquela ideia idílica de pessoas que ficam histéricas de felicidade cada vez que estão juntas e que adivinham o pensamento umas das outras, porque em alguma altura da vida acabam por se afastar e quebrar lentamente os laços outrora inquebráveis.

A isso meus caros se chama o verdadeiro processo de Desamigação (sim inventei uma palavra eu, também tenho direito, tá bem?)

  • O primeiro sinal de que estamos num processo de desamigação são os contactos cada vez mais escassos com a pessoa A B ou C. Há sempre aquele role de desculpas rotas tipo "ah e tal, tenho tido muito trabalho" ou "Pois nunca mais disseste nada e eu não tenho dinheiro no telemóvel" e outras que eu já ouvi (e até algumas que já disse, porque também já me desamiguei de algumas poucas pessoas). é engraçado porque geralmente nem nós acreditamos nas desculpas que damos, só as dizemos mais por descargo de consciência.
  • A partir desse momento já se sabe o que nos espera, embora o processo varie de situação para situação e de pessoa para pessoa é basicamente a mesma coisa, as desculpas constantes para não estar com A B ou C, fingir que não o vemos no super mercado quando vamos comprar pão e por aí adiante.
  • Depois vem a derradeira estocada numa amizade já de si estraçalhada, a conversa desconfortável que é o momento em que sabemos imediatamente que fomos desamigados por alguém ou que desamigámos alguém sem saber (embora eu não acredite minimamente em desamigação por acidente já vi algumas dizerem que nem se aperceberam do que se estava efectivamente a passar). tudo começa com um olá (geralmente da pessoa desamigada que não faz ideia que foi desamigada), e depois começa tudo a descarrilar, e as conversas interessantes parecem fugir-nos da boca e serem substituídas por conversas sobre o estado meteorológico, como a crise está, como tem tido muito que fazer e pouco mais, acompanhado com um olhar de quem quer sair dali que consegue encurtar a conversa em pelo menos 50%.
Quando têm a conversa desconfortável não vale a pena tentar justificar... essas coisas acontecem.
Há vários motivos que vão desde "Não se suportar mais a pessoa e querer cortar com ela" até ao "Não se identificar mais com a pessoa" passando pelo "achar que a pessoa A já não vale a pena" ou simplesmente porque tomam rumos diferentes na vida e quando olham para trás já não se vêm como eram antes. já fui desamigado por algumas pessoas de quem gostava muito e já desamiguei umas quantas pessoas, e não me arrependo nem repreendo as pessoas que deixaram de se dar comigo, se não queriam mais nem valia a pena forçar (e sim custou pessoas que conhecia desde os 7 anos deixarem de falar do nada e ter uma ou duas conversas desconfortáveis, mas isto não é um consultório sentimental xD).

Aliás muitas (quase todas as) vezes é o unfriending na vida real (este processo longo doloroso e complexo) que leva ao simples processo de carregar numa cruzinha num simples browser da Internet e dizer ao mundo orgulhosamente "já não sou mais teu amigo"

E vós minhas gentes? foram desamigados? desamigaram muitas vezes?

[A ouvir : After Love -P Diddy]

[Humor: Calorento]

sexta-feira, maio 28, 2010

Mordi a língua e não morri envenenado... amazing

Dizer "Odeio pessoas que falam mal das outras pessoas pelas costas" é um bocadinho redundante. Porquê?
Porque assim dizemos que odiamos toda a gente no planeta.
Chocados?
porquê?
Tipo... É um facto universalmente reconhecido que toda a gente fala mal de toda a gente.
nem vale a pena tentar negar.

É genético, tipo as girafas têm os filhos de pé, as crias de águia careca cospem substancia ácida prós focinhos dos predadores e o ser humano fala (mal) dos seus congéneres.
Temos todos um gene de má-língua codificado no DNA, deve ser defeito/qualidade de fabrico
Acho que é uma espécie de reflexo involuntário... talvez para exercitar o nosso padrão de julgamento social ou assim (aquelas coisas chatas que se desenvolvem em conjunto com a consciência, fruto de milhares de anos a viver em sociedade... Damn you civilization).

  • Falamos dos amigos... das suas escolhas... (quem nunca comentou o namorico de A B ou C com X Y Z?) porquê? porque nos preocupamos com eles.
  • Falamos de pessoas de quem temos raiva. porquê? porque ridicularizando essas pessoas nos sentimos menos irritados.
  • Falamos das pessoas famosas e da maneira como gastam o dinheiro e como vivem vidas promiscuas. porquê? porque as invejamos (pode ser a nível material afectuoso ou whatever)
  • Falamos vizinha de baixo que faz barulho a lavar a loiça...


E juntando todos os porquês numa amalgama chegamos à conclusão principal:
"Porque sabe bem."
Nem há outra explicação possível, e por muito que custe a muito boa gente admitir, falar mal de outras pessoas afasta as nossas preocupações mais recalcadas (ainda que por pouco tempo)
Por expor defeitos de outras pessoas minimizamos temporariamente os nossos.
Por falarmos mal de alguém, pelo simples acto de escarnecer de alguém sem que este saiba criamos laços de cumplicidade com quem maldiz connosco.

Afasta o stress, e é uma óptima forma de socialização. Não contribui para o buraco do ozono nem deixa resíduos não recicláveis. não é conflituoso com religiões ou crenças e dá para fazer em qualquer linguagem. (parece que estou a vender alguma coisa nas televendas, mas é verdade, só estou a enaltecer todos os benefícios da maledicência)
Não temos que encarar isso como uma coisa negativa a não ser que o façamos como único recurso (tipo não convém estar sempre a falar mal das pessoas pelas costas como substituição de confronto... pode parecer mais fácil mas acaba sempre pior para o falador e para o falado)

Por isso... Falem.

(e tão á vontade pra comentar também xD)

[A ouvir : Starstruck -Lady Gaga]

[Humor: Sonolento]

quinta-feira, maio 27, 2010

Can't Single be happy?

A minha felicidade não depende da existência de uma outra pessoa na minha vida.
Sim isto parece uma daquelas frases que as solteironas desesperadas na casa dos 40 dizem para se sentirem melhores consigo mesmas por não terem arranjado um par de calças e estarem bem longe disso, mas não é este o caso.

Vivemos numa sociedade de aparências onde a imagem vende e onde toda a gente quer vender uma boa imagem de si mesmo.
Infelizmente muita gente pensa que para ter uma boa imagem é preciso arranjar namoro/casamento/noivado/whatever.
Embora seja muito agradável ter uma namorada e ter atenção e não sei quê de momento não procuro nada disso.

atenção não estou a criticar quem está numa relação - longe disso- isto é tipo um grito de "BASTA" áquela ideia idiota de que solteiro e encalhado é exactamente a mesma coisa .
Isto é completamente ridículo.
No outro dia o meu pai veio me com essas conversas (e eu na minha cabeça imaginei-me a esfolá-lo com uma calçadeira de madeira) o que me inspirou a falar sobre isto.
Vamos ás distinções
  • Uma pessoa encalhada está solteira mas quer arranjar alguém a todo o custo, conheço vários indivíduos assim, tipo não conseguem estar sozinhos, o que mostra realmente uma falta de autocnfiança assustadora, porque tenta preencher o vazio pessoal com um par de calças/rabo de saias. pra estas pessoas uma citação:
a partir do segundo que se procura ter alguém para completar o nosso vazio em vez de se procurar alguém porque isso nos fará mais felizes, qualquer possível relação que resulte daí perde todo o significado, porque procuramos uma "rolha" e não uma cara metade
  • Uma pessoa solteira pode ser simplesmente solteira por opção, ou por acaso, mas não sente necessidade de arranjar alguém só porque sim. Conhecem-se a si mesmos e sabem que uma relação não tem só que ver com as suas necessidades afectuosas, envolve também uma outra pessoa. podem ou não querer ter uma mas não se esbaldam a correr atrás de algo que pode nem ser saudável
Claro que adorarei quando encontrar a minha cara metade e blablabla, todas aquelas tretas pseudo melosas que fazem render os milhões de comédias românticas pelos cinemas deste mundo a fora, mas não é uma coisa que me preencha o pensamento por mais de duas horas por semana. (embora me custe a acreditar naquela treta de que de repente conheço uma mocita qualquer apaixono-me loucamente, faço uma data de merd* e no fim com um discurso emocional ela perdoa-me e fica tudo bem e ficamos felizes para sempre e blablabla)
Estou bem assim e não preciso de ter alguém colado a mim para me sentir melhor.
Não preciso de andar de mãos dadas com alguém para me sentir bem comigo mesmo.
Não preciso de mostrar que estou numa relação para me sentir completo.
Não quero ter que partilhar com outra pessoa o que penso, nem de ser controlado (mesmo que esse controlo venha da preocupação)
Não vou inventar uma relação fictícia para não admitir a (não tão) triste realidade:
ESTOU SOLTEIRO E NÃO ME IMPORTO PORRA!
Não dou a mínima para se toda a gente tem alguém, se não me apetece ter alguém agora não vale a pena torrar a mioleira com isso.
o que tiver que ser acaba por acontecer não é o que dizem?

Esta música é tipo a tradução de tudo o que eu estive a dizer aqui, oiçam e procurem a letra porque não quero estar a encher o post só com isso.

Já alguma vez vos rotularam de encalhados? estão solteiros ? se não, quando estavam estavam por opção ou por acaso? Comenteeem!

[A ouvir : Single - Natasha Bedingfield]
[Humor: Normal]

quarta-feira, maio 26, 2010

Flash mob... [comentem as tristes figuras]

Okay dia 16 de Maio de 2010 fui fazer uma flash mob.

A flash mob (or flashmob) is a large group of people who assemble suddenly in a public place, perform an unusual and pointless act for a brief time, then quickly disperse | grupo de pessoas que se junta repentinamente num local publico, executando uma acção incomum por um curto período de tempo
Estava tipo completamente em pulgas, arrastei a Joana (e hei de te arrastar pra muitas mais destas enquanto elas continuarem a aparecer) e fomos os dois pra Faro fazer uma flash mob.
Disse pra nos inscrevermos logo tipo imediatamente nem sabia que raio iamos fazer, só me queria divertir.
Chegados ao local, estavam lá alguns dançarinos e duas das organizadoras que nos deram instruções, das quais vou salientar 3 instruções básicas:
  • Agir Normalmente : mesmo sabendo que vamos começar a dançar em frente a dezenas de pessoas que não conhecemos de lado nenhum temos que agir como se fosse tudo completamente inesperado para não quebrar a surpresa... Okay eu sou péssimo pra isso, não dou bandeira mas não fico propriamente neutro antes de ir começar... fico completamente eléctrico á espera do sinal combinado.
  • Não aglomerar com os outros figurantes: dizem nos na "formação" que temos que ir assistir áquilo sem nos juntarmos todos ao molho... coisa que acabou por não resultar bem assim, mas também não correu muito mal xD
  • Sorrir sempre : quer dizer tendo em conta que eu só tinha vontade de me rir a bandeiras despregadas cada vez que pensava nas figuras que estava a fazer não era propriamente difícil cumprir isso xD
Um pouco antes tínhamos que estar na área demarcada num mini mapa que nos entrgavam... escusado será dizer que estava tipo... neurótico á espera da música que era o sinal para nos aglomerarmos...
E depois deu nisto (só postaram ontem e eu só vi hoje):
Eu e a Joana aparecemos +- aos 3:59, sou aquele de camisa aos quadrados laranjas e pretos, e vamos aparecendo uma data de vezes a fazer a coreografia como íamos vendo visto não nos terem ensinado nada xD Foi lindo pah.
Edit: Ah é verdade a Joana lembrou-me de dizer que as pessoas que começam inicialmente a dançar são tipo dançarinos (por isso é que eles sabem a coreografia e nós não, não é pelos nossos dotes magníficos de dançarinos)

Pra quem pensa em fazer uma flash mob : FAÇAM!
é MUITO divertido, eles pagam e têm sempre boas memórias pra rir com os amigos, foi mesmo muito giro ;P se têm vergonha é infundada porque quando estão la a dançar(ou a fazer outras coisas dependendo da flash mob) nem reparam que as pessoas estão a olhar pra vocês. eu só percebi que estavam dezenas de pessoas a olhar depois de parar de dançar xD

[A ouvir : Chaos - MuteMath]
[Humor: Divertido]

terça-feira, maio 25, 2010

condomínio escreve-se com "condom"... protecção na moradia!

Sim... hoje, dia 25 de maio de 2010 é o dia Europeu do vizinho (mais um a juntar á longa lista de dias inúteis e que não melhoram em nada a minha existência, que fazem o favor de encher o calendário)
(Ned Flanders o vizinho do século)

E então resolvi falar das maravilhosas peculiaridades de se viver num condomínio de apartamentos.
Há muito boa gente que Goza imenso por aí com as aldeolas e com as zonas rurais, que acha completamente irritante viver num sítio pequeno e prefere a vida na metrópole... pois bem viver num condomínio é a mesma coisa que viver numa vila, só que cada andar é um bairro basicamente.
Há sempre personagens que se encontram nas aldeias deste pais a viver em muito bons condomínios (isto para falar de vizinhos):
  • A velhota adorável completamente coscuvilheira - Há sempre uma... quer por falta de marido, ou de ocupação acaba sempre por saber tudo da vida dos vizinhos. é aquela senhora que consegue saber que a Rapariga do apartamento 1X9 comprou um par de jarras muito bonito, e que o cabrão do Kh2 no segundo andar tem um fetiche por pés... e de uma maneira ou de outra o prédio acaba sempre de ficar informado por elas... mesmo que não queriam... é tipo um pasquim com pernas.
  • O/A vizinho/a peixeiro/a - Há sempre sempre sempre um vizinho arruaceiro, há procura de qualquer coisa pra implicar, vai desde que os putos do vizinho do lado não limpam os pés á entrada e então sujam aquilo tudo, ao mero arrastar de cadeiras do vizinho de cima que despoleta uma guerra mundial (eu ia dizer fria mas pensei melhor e geralmente não é bem fria xD). se for mulher é aquele tipo de senhora que mete a mão na anca e começa aos berros (berros esses que se ouvem a 5 kms de distancia). se for homem é daqueles senhores que ameaçam porrada a qualquer pessoa que lhe faça comichão... geralmente é como diz o ditado... cão que ladra não morde.... só incomoda como o cacete.
  • o casalinho problemático - geralmente na vida de qualquer condómino existe sempre um casalinho problemático. são pessoas de extremos, num dia estão a fazer sexo animal e a incomodar os vizinhos de cima e de baixo, e no outro estão a discutir dramaticamente e a ameaçar separações á porta de casa e a gritar palavrões como se não houvesse amanhã.
  • Os Snobs - GOD odeio os snobs do meu prédio(God se eu me apanho sozinho no elevador com aquela cabra loira oxigenada do segundo direito faço a engolir soda caustica só pra ver se não é tão snob depois). tão a ver aquelas pessoas que andam num Mercedes de 92, meticulosamente polido, com roupinha de marca e um nariz empinado que só apetece espancar com um taco de golfe até eles perderem a pose insuportável? isso são os snobs. têm sempre um ar enjoado e acham que são em tudo superiores aos vizinhos.
  • A velha dos gatos - Não não estou a gozar, há mesmo uma velha dos gatos em cada prédio onde eu já vivi. a casa delas cheira sempre a mijo, e se tiverem o azar de ir com ela no elevador apanham uma bruta seca sobre os seus "filhotes"... é tristemente assustador se pensarmos bem.
  • O hipocondríaco - Uma pessoa normal tem uma dor de cabeça e pensa o quê? "porra tenho uma dor de cabeça, será que há aspirinas?" um hipocondríaco tem uma dor de cabeça pensa o quê? "OH MEU DEUS TENHO UM ANEURISMA" evitem a todo o custo cruzar-se com um desses a sério. conta-vos tudo sobre a ultima consulta que fez e sobre as análises que tem que fazer, não é mesmo nada agradável. pralem de que é sempre uma das pessoas que mais se queixam nas reuniões de condomínio.
Sim e falando nisso há uma peculiaridade que eu adoro nos condomínios... as reuniões/assembleias.
vocês não estão bem a ver...
Okay estão a ver aquela velhota super simpática e calma que vos oferece sempre uma bolachinha quando vai com vocês no elevador (o que é deveras assustador se pensarmos nisso)?
Quando chega á altura das reuniões ela transfigura-se completamente, e o máximo que oferece é uma bolachada na fuça de quem discordar da sugestão dela de pôr mais canteiros na piscina só porque consideram "gastos desnecessários".
Há sempre discussões intermináveis nesses encontros colectivos e parece que todos os sorrisos trocados por cordialidade são trocados por ameaças e ofensas, é desde o cão que ladra muito alto, aos filhos que incomodam a aprender a tocar guitarra...
É surreal, porque mal acaba a reunião toda a raiva desaparece e as pessoas vão à sua vidinha como se nada fosse deixando me a pensar que devo viver num prédio repleto de bipolaridade.

Embora não exista deviam escrever um livro tipo " como ser um bom vizinho" com capítulos tipo "não se meter na vida dos outros em 10 passos" "quer gemer? ponha um pano na boca" ou "não seja demasiado simpático se não quer passar a ideia que quer drogar, raptar e cortar os seus vizinhos ás postas para depois comer ou fazer rituais satânicos"

E os vossos vizinhos? como são? há alguma outra categoria que conheçam e que achem que me tenha esquecido? acham-se bons vizinhos? comentem que a comment box não se importa!

[A ouvir : Jean's Scene- Medeski, Martin & Wood ]
[Humor : feliz]

domingo, maio 23, 2010

Life’s a bitch… I’m Alive… so I must be a bitch

A resposta a uma simples pergunta define todo o vosso carácter.
Okay talvez não de maneira tão drástica mas acho que percebem a ideia depois de se exemplificar com diferentes respostas/reacções ao mesmo acontecimento … vejam com qual se identificam mais :

acontecimento 1 : depois de 3 horas de programa especial na TV sobre o mundial de futebol:
  • Reacção de uma pessoa boazinha/sonsa (Luciana Abreu por exemplo) - "Ai gostava mesmo que eles ganhassem este ano ^^ ia sentir me mesmo orgulhoso(a) do meu país"
  • Reacção de uma pessoa normal - "Oh olha a selecção, pode ser que ganhemos... vamos a ver"
  • Reacção de um(a) RB (tipo... eu) - "God espero que a porra da selecção perca logo no 1º jogo só para não ter que gramar com mais conversas sobre que papel higienico usa o CriCri (Cristiano Ronaldo xD odeio o homem)
acontecimento 2 : Ida a um concerto onde o cabeça de cartaz desafina
  • Reacção de uma pessoa boazinha/sonsa - Ai coitadinho! devia ser dos nervos, é normal - isto tudo acompanhado por uma cara de bambi prestes a ser atropelado por um carro.
  • Reacção de uma pessoa normal - Eish... pensei que fosse melhor
  • Reacção de um(a) RB - Chamam àquilo cantar? Damn dêem me um microfone e um palco e fazia muito melhor figura.
acontecimento 3 : Uma pessoa aleatória espalha-se ao comprido mesmo à nossa frente
  • Reacção de uma pessoa boazinha/sonsa - Ajuda efusivamente a levantar pergunta 5000 vezes se está tudo bem e se precisa que acompanhe a casa...
  • Reacção de uma pessoa normal - Olha caiu! (pode ou não ajudar a levantar mas depende da pessoa)
  • Reacção de um(a) RB - Faz uma força descomunal para não se rir, contorna a pessoa e deixa-a ali no chão enquanto pensa "damn... ainda podia ser eu"
"RB?"- perguntam voces
Royal Bitch - Respondo eu.

Toda a gente gosta de ter o seu bitchy side mas (in)felizmente nem toda a gente é RB…

Consideram-nos más influências para pessoas sonsas e afins, inconvenientes dramáticos exagerados e maledicentes… e a verdade é que tenho a noção que sou isso tudo e não me importo a mínima (defeitos de fabrico, querem reclamar eu dou o nº de telefone dos meus pais ^^).
E é por estas e por outras que há pessoas que me adoram (Eu mencionei convencido? Acho que não… anyway acho que captaram xD).

Royal Bitches não tentam ser agradáveis aos ouvidos das outras pessoas, não são demasiado condescendentes. ADORAM ter razão (é uma sensação adorável e viciante) e dizer aquela mítica frase “eu avisei” quando alguém está na fossa…
Royal bitches não são más pessoas... estão na vastíssima zona cinzenta que pode ir do cinzento clarinho (Bitch de bom carácter) ao cinzento quase preto (psycho bitch).
Tipo não fazemos por mal… é genético

E vocês? O que acham que são (isto segundo aqueles exemplos?)será verdade aquilo que dizem (okay aquilo que eu digo) “everybody loves a bitch”?

Adoro esta música xD

[A ouvir : Warning- Incubus ]
[Humor : Bitchy]

Divagação

Dou por mim a pensar...
Não penso no passado próximo nem nas escolhas que poderia ter feito
Apenas penso em passados que não o meu
em vidas que não vivi por não serem as minhas e se oporem a mim
Penso em sítios onde nunca fui e consigo sentir uma saudade agoniante
Vejo cores apagadas na minha memoria e cheiros que nunca passaram pelas minhas narinas
Divago por uma realidade inventada e deixo que as memórias que não tive me sufoquem.
Passeio por mundos fantásticos e por emoções inexistentes...
e subitamente volto ás minhas memorias.
Áquele relvado húmido naquela noite quente de verão
Nunca me vou esquecer daquela noite
Não consigo lembrar-me porque nunca me esquecerei, mas efectivamente nunca a esqueci.
Um enxame enorme de Pirilampos disfarçados de estrelas passa sobre a minha cabeça e ilumina os teus olhos verdes curiosos e divertidos
Não consigo lembrar-me das palavras que proferes naquele momento...
Não interessam as palavras...
Ainda me lembro do teu cheiro a magnólia e do teu cabelo loiro solto em ondas sobre os teus ombros suaves...
Ainda me lembro do teu sorriso franco.
E com aquela puerilidade de primeiro amor beijámo-nos...
o sabor doce dos teus lábios húmidos e carinhosos choca-me,
o momento prolonga-se por uma ínfima eternidade...
em que te tive nos meus braços palpitante e viva...
E de repente os pirilampos fundem-se numa amálgama de luz
Estou a flutuar sobre uma janela dum prédio azul
Olho em volta mas daquele momento só resta o cheiro a magnólia preso no meu cérebro para sempre.
Deixo-me levar pela brisa das recordações que não recordo
Estou em paz.

[A ouvir : After Love- P Diddy ]
[Humor : Nostálgico] (o panda tirou férias)

sexta-feira, maio 21, 2010

Eu NÃO vou, e tu?


A sério estou a um estalar de dedos de estrangular a próxima pessoa que me falar na m*** do Rock in Rio.

Não vou. Ponto final.

Tipo não sei qual é a informação escandalosamente traumática que não se consegue assimilar quando digo estas palavras porque toda a gente me pergunta com cara de choque ou pena “então porquê? Aquilo é fixe!”

  1. º só porque massas e massas têm vontade de ir ao RiR eu não tenho obrigatoriamente que ter essa mesma vontade caraças!
  2. º As bandas que vão actuar não me dizem nada na maioria portanto não me apetece raspar o meu bolso já de si vazio pra ir ver coisas que não me dizem nada (o cartaz este ano está… nem vou comentar).
  3. º Quase ninguém pode ir do meu grupo de amigos. Sem montes de gente não dá graça.
  4. º Já não há bilhetes FUCK IT. Nem que estivesse a pelar-me de vontade de ir a esta altura não há bilhetes pró único dia onde não me importava de ir
Não vou cortar os pulsos a ouvir músicas deprimentes e com muitíssima pena de mim mesmo por não poder ir ao Rock in Rio porque a vontade não é quase nenhuma.
Não vou pró meio da linha de comboios fazer greve de fome para a organização ter pena e me dar um bilhete vip.
Não vou ver os concertos na TV e imaginar que estou lá (nem há 4 anos que quis mesmo ir e não pude me pus a fazer essa figura triste… quanto mais agora xD)
Não percebo qual é o furor.

Se gostam das bandas vão se não gostam não vão… Imitem a dança do ventre da Shakira e a Hannah Montana, berrem ao som dos Xutos, saltem com os Muse, façam o pino a ouvir o Elton John... Sei lá.

E não isto não é indirecta pra ninguém, É no geral porque pra onde me viro é só no que me falam é no Rock in Rio… porra calem-se com isso um bocadinho, que eu já vomito Rock in Rio e nem vou.

[A ouvir : Cette nuit- Anggun ]
[Humor : Feliz]

quarta-feira, maio 19, 2010

"A internet é um aglomerado de tarados, violadores e burlões"

Não sei explicar porquê fico com urticária cada vez que leio/oiço algo do género ...
Tipo quem é que anda na internet?...
TODA A GENTE!
não são só pedófilos, ou tarados, ou companhias organizadas de burla.
Virem me dizer que na net toda a gente é perigosa, é basicamente dizerem-me que eu tenho tendencias homicidas e não sabia...
Okay Por exemplo, eu conheço uma gaja que conheceu um gajo na internet (Venezuelano ou lá do cu de judas não me lembro) , com quem cibernamorou (um dos conceitos mais odiosos deste planeta pra mim… mas isso é uma outra historia e provavelmente um outro post Xd) e a dada altura o jovem pediu-lhe dinheiro.

E ela mandou.

Isso é burla?

Não, é burrice pura (enfim e depois ainda andou a chorar pelos cantos quando ele “acabou” com ela… Dummie?).

Eh pah a sério eu acho completamente idiota dizerem que a internet é um sitio perigoso e que corremos muitos mais riscos com pessoas que conhecemos na net do que na vida real… Ora porra mas esses riscos corremos nós na vida real com pessoas “inofensivas” de carne e osso. Não é por estarmos á distancia de uma lambada dessa pessoa que ela se torna mais confiável que uma outra que conhecemos na internet.

Os facebooks/Hi5s/Myspaces e por ai adiante não são minimamente perigosos… a não ser que se peguem em fotoso intimas e se espetem lá… mas acho que as pessoas que fazem isso fazem de livre e espontânea vontade, e se não querem problemas com fotos intimas… não as tirem?

Pois bem acho isso um exagero de todo o tamanho, qualquer pessoa com um terço dos neurónios a funcionar sabe perfeitamente que não se dão dados pessoais (such as telefones moradas e - o meu favorito, porque acho tão mas tão idiota haverem alminhas que partilhem isto- informação bancária) a pessoas que não se conhecem de lado nenhum, e que é bom estabelecer uma base de confiança com elas antes de as considerar amigas e assim.

Vamos a alguns dos perigos mais comentados por aí:

  • “Ah e tal mas eu conheço casos de jovens que são raptados e violados por causa do facebook e não sei quê”
Ehr… correcção, há jovens desesperados o suficiente pra marcar encontros com pessoas que não conhecem de sitio nenhum em sítios desertos/que não lhes são familiares e arriscarem-se a serem raptadas porque preferem arranjar encontros virtuais do que ir á pesca nas redondezas.
  • “Ah e tal e aqueles gajos que burlam e não sei quê”
Uma burla não acontece sozinha, temos que acreditar. Isso já é questão de pensarem pra vocês mesmos se querem mesmo emprestar 5€ a uma pessoa que nunca viram na vida para ajudar a conservação das vaquinhas com malhas amarelas da polónia… enfim.
  • “Oh pah mas e há aquelas pessoas taradas que pedem ás mocinhas indefesas para mostrarem os seus inocentes seios pela webcam, enquanto mostram a sua genitália pela deles”
Hum… esta realmente é complicada… acho que o msn não tem realmente aquela opção “Eliminar contacto”, nem aquela de “reportar abuso”… nem aquela de “bloquear”… Oh e esqueci-me da opção mais óbvia… “dizer não”? ou será que esses senhores tem uma espécie de poder hipnótico que faz as jovenas indefesas arrancarem as roupas e mostrarem os seus marmelinhos inocentemente? I don’t think so.

Já fiz muito bons amigos e amigas na net e não fui (ainda) assaltado, violado, defraudado, ou qualquer outra coisa (embora uma certa jovena certa vez me tenha dito que me ia violar, que era esse o seu plano secreto para dominar o mundo. Fico á espera xD), e acho que só quem não escolhe com cuidado as pessoas com quem se relaciona se dá mal… mas acho que isso é assim também na vida real (já apanhei maiores desapontamentos com pessoas que conheço cara a cara do que os que alguma vez apanharei com pessoas da net xD)

O mundo cada vez mais é uma comunidade global, toda a gente fala com toda a gente, toda a gente tem acesso ao mesmo, não há perigos a não ser que procuremos por eles… Se têem medo da net ora podem sempre cortar o próprio acesso… e isolar-se numa bolha de plástico, porque quem anda na rua... anda na net... e pode muito bem ser um pervertido à espreita.

[A ouvir : All I need - [re:jazz] ]
[Humor : Desapontado]

segunda-feira, maio 17, 2010

Jump



Hoje saltei do comboio em andamento again- nada temam fieis leitores, não tenho tendencias suicidas, e espero sempre até o comboio ir (mais ou menos) devagar, outra das minhas pancadas que já me valeu muitos quase trambolhões xD - e acho que aqueles 5 segundos que estive no ar a levar com vento na cara e a ver o comboio continuar a andar enquanto aterrava de pé e continuava a andar como se fosse perfeitamente normal o que acabei de fazer foram os melhores 5 segundos do dia todo.

Aquela falsa ausência da gravidade e o vento a bater-me na fuça (tenho a sensação que engoli um mosquito mas nem reparei) deu me uma liberdade que não experimentava há uns dias. e dito isto fiquei com vontade de fazer para-quedismo.
Mas como tudo o que é bom eventualmente acaba mal bati com os pés no chão aquele gostinho na boca foi se á vida e voltei ao dia a dia... Meh...

E hoje não tenho inspiração para grandes textos, é só mesmo este micro-post.
Não vos acontece ás vezes um simples momento compensar um dia menos bom (não foi o caso por acaso) e sentirem-se automaticamente zen?

[A ouvir : Who Knew - P!nk ]
[Humor : Meh ]

domingo, maio 16, 2010

Normal

Tento compreender esse conceito de normalidade
mas por mais que pense não o atinjo.
Cheguei portanto á conclusão que não quero normalidade
Não preciso inserir-me nos conceitos de ninguém para me sentir bem
Não quero mascarar a minha personalidade para não ferir egos alheios
Não quero Essa normalidade que só restringe o que podemos fazer dizer ou pensar
Não quero gostar de castanho só porque toda a gente gosta
Não quero!
Apercebi-me que quem gosta de mim gosta de mim pelas minhas anormalidades
Não quero que gostem de mim por ser só mais um,
Não quero que me tentem standartizar,
Não quero ser mais um,
mais uma variação da mesma mentalidade impressa num corpo diferente,
Mais uma alma perdida na corrente de almas que rumam em direcção a u final comum e ensoso.
Quero cor quando tudo o resto é cinzento e música no meio do silêncio sepulcral
Quero partir barreiras que só eu vejo, por não me prender a elas.
Quero ser um perfeito ANORMAL
e quem não gostar ora… é só olhar pró outro lado…
De certeza que encontram muitos “normais” para apreciar

É verdade, a normalidade irrita-me.
Não sou melhor nem pior que ninguém.
Não sou um mestre de originalidade, nem acho que uma pessoa precise necessariamente de ser diferente para ser feliz, mas irrita-me olhar para todos os lados e ver toda a gente presa aos mesmos padrões, à mesma normalidade chata e cinzentona.
Odeio ver como criticam algo que não se encaixe nos seus conceitos gastos de aceitável ou não.
Vou continuar a gritar quando me apetecer, a falar alto mesmo que isso incomode algumas pessoas, a comer ovos kinder só por causa do brinde.
e acho que isso sabe bem. Não me prender pelo que os outros acham cero ou errado.
E não isto não tem nada a ver com nada que me tenha acontecido, o texto saiu-me , estou de super bom humor.
O que acham que é "normal"? consideram-se normais? Comentem que eu não mordo (pelo menos virtualmente não dá)

[A ouvir : Wild Horses - Natasha Bedingfield]
[Humor: Feliz mas exausto]

sábado, maio 15, 2010

Eu Devia receber 500€ diários só por existir


Ganância (aka Avareza)

Esse som...
Penetra-me pelos ouvidos e entorpece-me os sentidos
Som claro e puro como água nua catarata
faz-me rir e chorar,
Esse som quente e imediato,
lembra-me a tua textura suave e figida, doirada e compenetrante...
apetece-me gritar de prazer cada vez que oiço o teu chocalhar rápido
Oiço esse som, vezes e vezes sem conta... e cada vez me parece novo, brilhante e valioso.
KA-CHING
És MEU, MEU e só MEU!!

Eu sou muito desprendido a nível material.
...Okay eu gosto de ir ás compras e sempre que tenho dinheiro(coisa que gosto, BTW) torro-o...mas não é mesmo uma das minhas prioridades,
Hum... e sim um dos meus hobbies é imaginar que ganhei o euro milhões e decidir como é que ia gastar o prémio (nem imaginam a quantidade de extravagancias mentais é que já fiz... vida de pobre é lixada xD).
mas isso não faz de mim AVARENTO (okay ganancioso talvez um bocadinho... que é a ideia original do pecado capital, que foi mal traduzido para avareza caso não saibam xD) quer dizer... eu partilho tudo com as pessoas... a sério eu irrito-me comigo mesmo porque esta mania de emprestar de tudo lixa-me sempre a mim (ele é dinheiro ou material, ou livros, ou jogos... e acaba sempre alguma coisa mal especialmente porque as pessoas abusadas se aproveitam disso xD).
Quer dizer... mas em minha defesa... que mal tem querer-se coisas boas? tipo gostar de ter muiotas coisas não faz de mim uma péssima pessoa... e se não compram essa podem sempre pensar como eu:
o que é a ganância senão uma forma muito super desenvolvida de ambição? sim aquela coisa que nos fomentam a construir na nossa vida diária, porque "pessoas sem ambição não têm futuro", ou porque "se não ambicionares não te dás valor a ti próprio e consequentemente os outros não te dão valor"
Logo eu sou uma pessoa extremamente ambiciosa! hunf pra vocês que me chamaram ganancioso!!!!
E os bens materiais são super importantes sim(I would totally kill for a Ipod tocuh *.*)! Claaaro que não são mais importantes que os amigos e blablabla, aquelas tretas que vêem em todos os livros de auto ajuda deste planeta (que se formos a ver são uma maneira disfarçada de nos dizerem pra sermos mais avarentos "pense mais em si e nas suas necessidades" "você vem primeiro" e por ai adiante... mas isso é uma outra historia)mas são importantes.
Se tens dinheiro, gasta. nem precisa de ser contigo. poupar demais faz mal.
... e depois de lerem este meu pensamento profundo percebem porque é que eu estou sempre teso (não no sentido malicioso da palavra).
E com isto findo os meus posts sobre os 7 pecados... que por acaso gostei bastante de fazer. Gostaram da ideia? e ainda dentro do post... são avarentos? gananciosos? O que acham dessas... qualidades? comeeeeeenteeeem

[A ouvir : Aganju - Bebel Gilberto]
[Humor: Expectante]

quinta-feira, maio 13, 2010

MAG?

Eu não acredito que vou escrever sobre isto.
Okay este post tem mesmo uma grande historia(ou talvez nem por isso).
Há uns bons meses estava a falar com a Sara (sim também vais ser incluída no degredo), uma amiga minha. e já não sei muito bem como, ela disse-me algo do género "ai queria mesmo um MAG" e eu fiquei assim um bocadinho a boiar.
MAG?
ela depois explicou-me que era uma sigla para Melhor Amigo Gay... e eu fiquei assim tipo... WTF?
mas prontes a Sarinha precisa de tratamento psicológico, pensei que fosse o excesso de farmville ou assim xDDDD.

Mas de vez em quando ela referia isso nas conversas, e começaram outras conhecidas minhas a falar disso também...
e cada vez me fazia mais comichão.
não por quererem dar-se com pessoas com orientações sexuais diferentes...
Eu passo a explicar. isto faz me confusão, talvez não perceba a mente das mulheres, e hoje até comentei que não acho normal tantas raparigas acharem o máximo terem um amigo que gosta de outros amigos só porque podem ir com ele ás compras e falar de rapazes... quer dizer os homens não falam uns com os outros sobre ter uma melhor amiga lésbica que possam levar aos jogos de footbal e a ir á caça de fémeas quando saem á noite...
"mas que raio de fetiche é este que as gajas têm porra??"

Essa comichão cresceu e cresceu e acabei por passados séculos entrei pegar na minha lata toda e começar a perguntar a amigas minhas:
"O que achas da ideia de ter um MAG? a ideia seduz-te? porque?"
Depois dos choques iniciais obtive uma data de respostas, mas só 3 pontos de vista
ou seja embora haja muita quantidade há pouca variedade...
So here you go:
  • Claro que sim/Isso até me dá orgasmos mentais (esta foi tipo a resposta vencedora,a grande maioria disse isto): juntando tudo numa amálgama... temos a conclusão geral de que os gays partilham dos mesmos interesses e tem melhores noções de moda e sentimentalismos, e por isso é bom ter um por perto. não falam mal pelas costas como as gajas e são mais directos que elas (disseram me mesmo isto, não estou a inventar.), Oh e por fim, podem comentar sobre rapazes e não constituir (de preferência) perigo de concorrência xD
  • É-me indiferente (curiosamente quase ninguém respondeu isto, foram poucas as raparigas a dizer isso): Não se interessam pela orientação da pessoa para nada, isso não vai mudar em nada a maneira que se relacionam com ele e não tem nada a ver a orientação sexual com ser melhor ou pior tipo de amigo
  • Nah, nada contra mas não me atrai minimamente (a resposta perdedora): Basicamente não vêm nada de especial em rapazes que gostam doutros rapazes para quererem euforicamente ter um melhor amigo assim. isto resumindo.
Depois disto tudo e de falar com uma data de mulheres meninas e moças... cheguei à conclusão que as mulheres não confiam assim tanto umas nas outras... e que embora muitas afirmem a plenos pulmões que são contra estereotipar , o fazem inconscientemente.

Sim porque o que me faz confusão é acharem na grande maioria que qualquer gay sabe de moda compras e ajuda sentimental (isto sem contar com as míticas conversas sobre o período que também me foram mencionadas xD) , não é o quererem ser amigas dele.
acho que é a mesma coisa que pensar que todas as lésbicas são machonas têm buço e gostam de beber umas bejecas...
E pronto, perguntinha da praxe... só pras moças "tem algum MAG? querem ter? Porquê?"
(e agora é ver o meu blog a cair no degredo xD)

[A ouvir: Alive tonight -Mo Horizon]
[Humor: cansado]

quarta-feira, maio 12, 2010

Crises Narcisistas


ODEIO-TE
Odeio esse teu ar vago que recebo de manhã ainda ensonado
Não suporto os teus olhos sobre mim.
Odeio que me digas o quão imperfeito sou.
Odeio que tenhas sempre razão no que me mostras.
Que não me mostres só o que eu quero ver.
Canso-me de tentar perceber o porquê desta necessidade
mas no fim só sei que tenho de te ver todos os dias...
por mais que te odeie.
Estás sempre lá calmo mudo e certo...
tão certo que me agonias.
tão certo que me deitas abaixo quando me sinto óptimo,
(embora ás vezes me animes quando me mostras algo bom.)
tão certo que ao mesmo tempo que te quero estilhaçar, peço para trocar de lugar contigo.
tão certo que redefines a palavra certeza...
E tão depressa quanto te odeio, invejo-te exactamente pelos mesmos motivos.
invejo-te por não sentires pena de mim.
invejo-te por seres incapaz de sentir de todo.
Invejo-te por estares sempre lá. mesmo quando não te quero lá
Já perdi a conta ás vezes que te perguntei como é ser tu.
Tu nunca respondes...
E embora me aperceba o quão ridículo é tentar falar contigo, não o consigo evitar.
Talvez me tenha apaixonado por esse teu silencio cheio de significados...
e odeio-me cada vez mais por não poder trocar de lugar contigo...
quero estar nos teus sapatos,
poder olhar para ti quando me procuras meio sem vontade todas as manhãs
Talvez devesse parar de falar com o meu reflexo...
mas não hoje.



Este... pseudo poema é dedicado ao espelho da minha casa de banho.
Àquele espelho monstruoso que me faz sentir uma aberração desproporcional cada vez que acordo e vou lavar os dentes e a cara.
aliás é dedicado a todos os espelhos.
quantos de vocês acordam de manhã vão ao espelho e vêm exactamente aquilo que não querem ver? um total desalinho? não odeiam isso?
Eu pelo menos odeio.
Claro que o espelho não é um inimigo... também nos mostra coisas boas, depende de como acordarmos. por isso mesmo resolvi fazer-lhe um poema.
Também têm uma relação amor/ódio com o vosso espelho?
(ainda não faço ideia do que escrever sobre a avareza)


[A ouvir: We can Dance -Caravan Palace]
[Humor: indefinível
]

terça-feira, maio 11, 2010

Eu tenho um vicio...

... okay façam isso dois.

Amigos e música.

nunca soube bem explicar porquê mas sou muito selectivo com as pessoas que deixo mesmo entrar na minha vida. dou me com muita gente mas são raros aqueles que consdero mesmo meus amigos. não o faço por mal mas pelo menos sei que não me vou desiludir tanto com as pessoas, e é muito raro me zangar com aqueles que considero efectivamente meus amigos.
preciso deles e sou um chato de primeira quando gosto mesmo duma pessoa (tipo estão a ver aquele mote "mi casa es su casa"? pois bem eu adopto esse e o "tu casa es mi casa" tambem xD).

Gosto de estar com eles e rir, aparvalhar totalmente, falar mal das outras pessoas assim de vez em quando (e toda a gente fala mal de toda a gente não me venham cá com falsos pudismos) aparvalhar, sair á noite cantar no singstar, tentar tocar guitar hero (daqui a uns milénios hei de conseguir tocar a guitarra não parecendo que tenho epilepsia nervosa nos dedos, ESTÁS AVISADA JOANA!!! xD) é bom e muita gente se esquece da importancia que um bom momento cos amigos pode ter para o nosso astral

e falando em guitar hero... passamos à música. A música é minha amiga. é muito provavelmente a minha melhor amiga (não querendo ofender ninguem, é uma coisa metafórica xD), aquela que está comigo a maior parte do tempo, que não se importa minimamente se eu estou de bom ou mau humor e que me encoraja sem que eu lhe peça nada, não me julga e diz-me sempreo que quero ouvir.
Tenho dois mundos, o mundo real e o mundo da música. com os meus super mega fones que abafam qualquer som é tipo sensação de mudança de atmosfera cada vez que os tiro. e à mínima oportunidade volto a colocá-los e a deixar-me inundar em horas e horas de musica [eu em média num dia oiço 8 horas de música +- (provavelmente mais mas eu sou uma vergonha a fazer estimativas)] sabe bem, faz bem à saúde, ao ego e ao stress. e a uma data de outras coisas xD.
Estilos e Géneros... eh pah, não gosto de fado, metal(quanto mais heavy pior), hiphop (principalmente o tuga, excepto os expensive soul) e rap... mas gostar gostar gosto de muita coisa, por exemplo:

Adoro jazz. okay parei aproximadamente 5 minutos para tentar descrever o que sinto quando oiço jazz. mas não consigo. acaba por me transcender. não tenho que saber a letra toda (embora eu acabe por decorar a letra se gostar demasiado da canção) apenas tenho de ouvir e apreciar aqueles minutos de confidencias. conseguia ficar um dia a ouvir Jazz. é daqueles géneros que eu não consigo enjoar.
Adoro Lounge. ultra relaxante, bom para se ouvir quando se precisam por as ideias em ordem, quando se quer alhear da realidade e afastar os problemas. muitas pessoas ouvem só por ser agradavel ao ouvido, eu ouço pelo efeito que tem em mim xD
Adoro Pop, nasci em 1989 e não tenho vergonha nenhuma de dizer que cresci a ouvir pop até mais não. eu e milhares de outros jovens que agora se autointitulam metaleiros e que franzem o nariz a coisas que muito provavelmente lhes despertam uma nostalgia enorme de quando eram projectos de criança e imitavam as coreorgafias da Britna e dos backstreet boys na TV.
Adoro Indie, um estilo que sinceramente conheço há poucos anos, mas não sei muito bem explicar porquê gosto...
Adoro músicas que não se encaixam num género, claro que nao adoro todas mas gosto geralmente de músicas alternativas exactamente por sairem do padrão...
E podia continuar aqui a falar de géneros e estilos, mas são tantos e eu gosto de mesmo muitos (e se for a pensar bem conheço poucos ainda)... que acho que não vale a pena estender muito mais.
há um universo inteiro por explorar e quero descobrir tudo, enfim hoje estou com conversas ligeiramente utópicas xD. Mas honestamente acho que o importante é salientar que não sei viver sem duas coisas.... música e amigos.

E vocês? têm vícios (assim destes saudáveis)? têm muitos amigos? ouvem muita música? estão felizes com o papa vir cá(já que não se fala noutra coisa... porque não falar aqui também?)?

[A ouvir: The essence - Chaka khan]------>aconselho ouvirem
[Humor: Felicíssimo (muito melhor que feliz)]

segunda-feira, maio 10, 2010

Morde-me, Arranha-me... BEIJA-ME

tenho a sensação que a Claudjinha não vai achar graça nenhuma a este post visto estar nesta cor, mas tou a seguir as cores dos pecados por isso num me mates sim? xD

Luxúria
Okay vou dizer uma coisa que vai já aqui chocar muito boa gente, mas aquela conversa de "a beleza interior é que conta" é conversa de livros de auto-ajuda. e passo já a explicar.
Vão na rua e vêem um borracho (gaja ou gajo é só escolher) assim daquele tipo que vos enche os olhos e vos põe o termostato logo no máximo... vocês vão pensar "bem embora seja uma embalagem extremamente convidativa não sei se é boa pessoa, portanto toda a minha atracção é infundada e vou descartar imediatamente."


Não funciona assim e toda a gente sabe disto.

Claro que depois de conhecermos a pessoa nos envolvemos/acabamos por nos afastar pelo seu jeito de ser. mas começa tudo com atracção física e carnal, pelo desejo, pela vontade de rasgar as roupas da pessoa ali no meio da praça de táxis e por entre beijos caricias arranhões e palavrões desfrutarmos do seu corpo e deixá-la desfrutar do nosso (okay e dito isto estou com calor).


E isto meus caros é luxúria.
Simples quente directa e imediata.
e... BOA.
E sempre que oiço esta música penso nisso:
(adoro mesmo esta musica)

Há quem pense que a luxuria se resume á satisfação dos desejos sexuais como se não houvesse amanhã, mas eu acho que não é bem assim.


Há tantas coisas que satisfazem a nossa luxúria... como por exemplo o flirt. Oh o flirt é mágico. o poder de um olhar pode despertar interesses nunca antes sequer imaginados. quem é que nunca fez uma boa sessão de flirt com um perfeito desconhecido numa noite de saída á noite? É bom toda aquela aura de mistério e sedução, olhar para ver se somos corrrespondidos, ver a centelha de interesse e com alguma sorte algo mais... Eu flirto em qualquer ocasião. uma boa troca de olhares leva-nos a situações completamente inesperadas se estivermos dispostos a isso (okay não estou a falar de sexo sadomasoquista com a velhinha da peixaria do pingo doce tá bem?)


E quem fala em flirts fala em beijos. a forma mais pura de demonstrar o quanto estamos interessados numa pessoa. ás vezes um beijo bem dado vale por uma hora de sexo selvagem. ás vezes supera. o simples roçar dos lábios quentes e húmidos uns contra os outros, a respiração no pescoço, o serpentear das línguas e os toques sorrateiros por baixo das blusas sabem melhor que arrancar a roupa e... pumba. (não que a ultima opção seja má, claro que não é mas não é tudo)


...vão-me dizer que nunca têm vontade de se render ás vossas vontades mais intimas? de roubar um beijo ardente naqueles momentos mais inesperados - tipo quando estão ás compras na secção dos congelados, ou quando fazem arrumações no sótão - e prolongar pelo maior período de tempo possível?


I don't believe it


Está por todo o lado, nos videoclips das musicas mais in (músculos e silicone, decotes e camisas justas, T&A.(não sabem o que é? Google it) invadem o imaginário dos adolescentes fortemente hormonizados e viciados na MTV), nos filmes, no dia a dia e nas publicidades... até nas publicidades de iogurte acabamos por assistir mais a jogos de sedução do que ao comércio do derivado lácteo propriamente dito...

E hoje deu-me pra meter músicas por isso ficam com este vídeo que é completamente luxuriouso (mais a tender pro badalhoco mas isso é outra historia xD)

video
têm muitos ataques de luxúria? contêm-se muito? vá comentem saxavor!

[A ouvir: Frisco - Soma]
[Humor: Promíscuo]

domingo, maio 09, 2010

Espelho meu, espelho meu,,,

Vaidade
Significado segundo um dicionário de Língua portuguesa da porto editora.

s.f. (...) orgulho; vanglória;ostentação; futilidade. (Do latim vanitate- <>)
Salientei só a parte mais importante, ou pelo menos a que vai de encontro ao que quero falar.
Quem é que não tem o seu bom momento de vaidade?
Vivemos cada vez mais num mundo de aparências e vaidades, A imagem ideal é tipo um exemplo mais do que perfeito disso. os gajos tem que ser tipo modelos da abercombie & fitch, e as gajas têm que ser no mínimo magras o suficiente para aparecerem numa capa da Vogue (o que é extremamente bom porque a mulher comum não é nem de perto nem de longe parecida com um pau de espetadas em cima duns saltos altos, e o gajo comum não tem abdominais suficientemente definidos pra se lavar lá a roupa, ou peitorais suficientemente grandes para se meter lá uma chávena de café em cima)

E nem vale a pena virem pra cima de mim com tretas existencialistas que as pessoas vestem apenas aquilo em que se sentem bem e confortáveis e que ninguém tenta impressionar ninguém.
Toda a gente quer "vender" uma imagem de si próprio que lhe agrade e principalmente que cause uma boa impressão, tanto a si quanto aos outros...

Quer dizer se toda a gente vestisse só o que é confortável vivíamos num planeta de pessoas vestidas com fatos de treino de algodão sapatilhas largas , sem maquilhagem gel laca ou acessórios... (um mundo demasiado cinzentão devo acrescentar).
Sim não iam haver stilletos de 10 cms, porque vamos admitir, ninguém acredita que aquilo seja minimamente confortável por mais de 10 minutos nos pés, mas sinceramente faz qualquer mulher ficar instantaneamente mais sexy (por isso um grande bem haja ás corajosas que não ligam a mínima pros calos nos pés e para as dores de costas e nos presenteiam com a imagem super elegante de uma mulher de stilletos.).
Não iam haver cabelos à EMO, tipo aquelas franjas enormes a tapar mais de 70% do campo de visão. de cabedal justos porque... bem para além de fazerem qualquer um suar horrores por melhor que se fique lá dentro.
Não iam haver all stars porque embora sejam um "ícone" são resumidamente um pedaço fino de pano uns atacadores e uma sola de borracha. são frios pro inverno e se usados com as meias erradas no verão são um autentico forno.
e acho que entenderam a ideia...

Como já devem ter reparado se tiverem lido o meu perfil assim a titulo de curiosidade sou leão de signo, e bem toda a gente sabe para onde é que isso pende quando se fala em vaidade (os leões são vaidosos de natureza, e hell with it, adoro xD).
admito sem vergonha nenhuma que sou bastante vaidoso:
  • Nunca repito a mesma muda de roupa durante a mesma semana (posso repetir um par de calças alguns dias mas evito ao máximo)
  • Quando há um espelho no meu caminho não consigo evitar olhar fixamente pra lá e fixar mentalmente o que gosto e não gosto naquele reflexo (sim fútil eu sei mas eu sou fútil quando me dá praí)
  • Se tivesse dinheiro para tal estreava uma peça de roupa a cada semana, porque pralem de saber que fazer compras é terapêutico (como ja referi aqui)
  • Adoro ostentar coisas novas e não sou nada discreto quanto a isso.
  • Tenho um orgulho imenso em ter olhos claros, até me dei ao trabalho de por uma foto deles e dos meus fantabulásticos óculos lascados acima (odeio que não tenham uma cor definida ás vezes, mas é bom porque tão depressa ficam turquesa como depois estão cinzentos como podem ficar verdes), porque as pessoas de vez em quando reparam :P
  • Gosto(aliás adoro... okay é quase uma necessidade patológica) de receber elogios. Não é necessariamente a mim, pode ser ao meu trabalho, a algo que eu diga (até por exemplo aos meus posts, se forem muito simpáticos agora comentam bastante xD) mas sou um bocadinho selectivo, se não gostar muito da pessoa o elogio não me sabe assim tão bem xD.
E se continuasse a pensar nisto tinha ainda uma data de exemplos, mas acho que nunca mais saía daqui se continuasse a exemplificar. Por isso finalizo com o meu pensamento geral sobre a vaidade:

A vaidade é quantificável numa escala qualquer, por isso somos todos vaidosos, muitas pessoas preferem não o admitir. o que é giro, porque falsas humildades são piores que vaidades admitidas (digo eu).

[A ouvir: Vanity - Soma]
[Humor: Alegre]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...