sexta-feira, setembro 23, 2011

Eu tenho medo de pessoas muito simpáticas


Sou uma pessoa de trato fácil.
Sou divertido, expansivo e descontraído, e não tenho paciência para me chatear, logo nunca tive muitos problemas de nível social.
No entanto, não sou nem nunca fui, particularmente simpático. Sou – obviamente – mais simpático quando estou com os amigos e família, mas é só.
Acho desnecessário andar a mandar sorrisos a toda a gente quando digo bom dia sem me apetecer, quando o posso fazer com a minha cara de “I don't give a crap”, para além do mais é exaustivo fingir que estou efectivamente interessado em dispensar mais do que o tempo estritamente necessário a toda a gente com quem me cruzo.

Talvez por isso me faça a maior das impressões quando apanho alguém muito simpático.
Já alguma vez viram um filme de terror passado nos subúrbios? E nunca repararam que a vizinha simpática que oferece queques e bolos acaba sempre por matar alguém?
Parece-me sempre que estou a lidar com algum serial killer psicopático que me vai arrancar a coluna com uma colher de sobremesa depois de me dar as fatias de fiambre fatiado:

Para começar, faz-me impressão que se riam para mim sem motivo aparente. Ainda percebo um sorrisinho do género forma de cumprimento, e até retribuo, mas quando passa daí para um sorriso permanente ou umas pequenas gargalhadas a meio da conversa, dá-me sempre a sensação que alguém andou a abusar dos antidepressivos, e que agora vê unicórnios cor de rosa em todos os lados para onde olhe.

Outra coisa que acontece também, é porem-me alcunhas enquanto falam comigo. Ora bem, eu detesto alcunhas. Nunca tive nenhuma alcunha na vida e detesto que me alterem o nome. Não gosto que me chamem meu querido, meu amor, meu anjo, meu fofo, e outros que tais se só me viram uma vez.

Nunca faltam os inhos e os itos.
Primeiro, eu não tenho cinco anos. Percebo as coisas perfeitamente se mas disserem como deve ser.
Segundo, é completamente perturbador.
Uma coisa que gosto particularmente é repetirem o que eu disse por, mas trocando por “inhos”:

“queria depositar 100€ nesta conta”
“ai são cem eurinhos na continha meu querido?”
“...”

Para finalizar, eu detesto que me expliquem as coisas a tocarem-me , que é coisa que infelizmente estas pessoas desconfortavelmente simpáticas têm que fazer, se eu não tenho confiança com a pessoa agradeço que não se agarre ao meu braço enquanto me explica como é que vou dar ao gabinete do dentista no 3º piso, eu não sou um cavalo a quem tem de se pegar e fazer festinhas para falar com ele, e isto não é o avatar em que eles faziam tudo a encostar as trancinhas uma à outra.. I love my personal space, thank you.

Eu sei que a simpatia é uma coisa necessária, e louvo francamente as pessoas que o conseguem ser naturalmente quer nos locais de trabalho, quer na sua vida diária, mas quanto mais forçam para mostrar quão boas pessoas são, mais eu mostro o meu lado anti-social e me começo a afastar enquanto penso que devia comprar um taser, só para uma eventualidade.
E vocês?
Que coisas acham mais perturbadoras em pessoas excessivamente simpáticas?
Como reagem a essas pessoas?
Lidam muito com elas?
Vá toca a ler, comentar, subscrever, gostar no facebook e seguir no twitter (credo tanta coisa).
Este fim de semana respondo aos comentários, e faço uma postagem no outro blog (que anda ás mosquitas)

[A ouvir: Underdog - You me at six]
[Humor: Divertido]

4 comentários:

  1. Definitivamente, tens ascendente em escorpião, é tudo o que te posso dizer :D

    ResponderExcluir
  2. Afal
    Como já sabes não tenho xD, Mas também tenho coisas escorpiónicas
    Corina
    De... chocolate? xD

    ResponderExcluir

Aproveita agora que comentar ainda não paga imposto, pode ser que responda!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...